Sobre prosperidade vetero e neotestamentaria, João Wesley e os pastores magnatas da Revista Forbes.

Publicado: 22/01/2013 em Uncategorized
Tags:, , , , , ,

Rev. José do Carmo da Silva – Mano Zé do Egito

Comumente os pregadores da “Teologia” da prosperidade citam os patriarcas e reis do Antigo Testamento como exemplos de que os servos de Deus devem ser prósperos financeiramente como sinais de que possuem fé. Segundo eles a fé é manifesta pelo ter, ter bênçãos materiais.

De fato tais personagens veterotestamentários eram ricos, ou riquíssimos. Porém, minha leitura bíblica é de que, tais patriarcas e reis viveram e desfrutaram de bênçãos decorrentes da Aliança com Deus a partir de Abrão. E as promessas contidas no AT são especificas para um contexto, Terra Prometida, para um povo especifico, os Judeus.

A benção universal é a promessa de Cristo, prometida a Abraão, do qual descende Jesus, através do qual são benditas todas as famílias da terra, por meio da salvação, e não do enriquecimento material.
No Novo Testamento, a promessa deixa de ser um lugar geográfico, a Terra Prometida, e é substituída pela Nova Jerusalém. E no tocante a riqueza material; vejamos o que disse Jesus de Nazaré e Paulo. A ordem de Jesus é para que seus discípulos repartam o que possuem e não para que acumulem.

“Vendei os vossos bens e dai esmola; fazei para vós outros bolsas que não desgastem, tesouro inestinguível nos céus, onde não chega o ladrão, nem a traça consome” (Lucas 12:33).
“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu… Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” [Mateus 6:19-21].
A ideia dele é que busquemos a justiça do Reino e não os bens do mundo, a partir do momento que buscamos a justiça do Reino, Deus nos concederá o necessário: “Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas cousas vos serão acrescentadas” (Lucas 12:31).

Ele alerta contra o apego aos bens materiais:

“E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; e arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; e direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.” [Lucas 12:16-21].

“Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui” (Lucas 12:15)

Pessoas apegadas ao dinheiro correm o risco de se perderem eternamente: ” E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus.” (Mateus 19:16-23)

Vejamos o que disse Paulo:

Se alguém ensina falsas doutrinas e não concorda com a sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino que é segundo a piedade, é orgulhoso e nada entende. Esse tal mostra um interesse doentio por controvérsias e contendas acerca de palavras, que resultam em inveja, brigas, difamações, suspeitas malignas
e atritos constantes entre pessoas que têm a mente corrompida e que são privados da verdade, os quais pensam que a piedade é fonte de lucro.

De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro,
pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar;
por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.

Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,

pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.

Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão.
1 Timóteo 6:3-11

De acordo com a Bíblia, não creio na “teologia” da prosperidade e tampouco na da miséria, mas sim na teologia do CONTENTAMENTO, assim como diz Paulo em Filipenses 4:11 – “Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.”

Quem estuda a Palavra e por experiência própria conhece e sabe na prática que até mesmo os servos mais fervorosos estão sujeitos as contingências e vicissitudes da vida humana. Paulo é um exemplo disso:

“Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade.

Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.

Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Todavia fizestes bem em tomar parte na minha aflição. – Filipenses 4:10-14

Penso que o melhor exemplo esta no tocante a dinheiro esteja no ensino de João Wesley:

“Ganhe o máximo que puder. Poupe tudo que puder. Doe tudo o que puder”.

Em 1744, Wesley escreveu: “Quando eu morrer, se deixar 10 libras você e qualquer ser humano podem testemunhar contra mim, dizendo que eu vivi e morri como um ladrão e um roubador”. Quando João Wesley faleceu, em 1791, o único dinheiro citado em seu testamento foi uma miscelânea de moedas encontradas em seus bolsos e em suas gavetas de roupas. A maior parte das 30.000 libras que ele ganhou em toda a sua vida ele doou. De fato viveu o que pregou e pregou o que viveu.

Se os pastores magnatas brasileiros mostrados pela Revista Forbes colocassem em prática o ensino de Jesus e Paulo e o exemplo de João Wesley, certamente os honestos pastores anunciadores do Caminho da Verdade, e a Verdade do Caminho, não estariam sendo infamada pelos infiéis.

O mais importante é essa verdade e orientação bíblica: “Todavia o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.” – 2 Timóteo 2:19″ – E iniquidade é usar o dom de Deus seja para pregar, cantar, orar, curar para enriquecimento próprio, deixando de observar o que disse Jesus: De graça recebei e de graça dai (Mt. 10:8),

Reverendo José do Carmo da Silva – Mano Zé do Egito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s